Instituto de Oftalmologia Tadeu Cvintal

Uma das doenças oculares que mais causam cegueira no mundo, pelo fato de ser assintomática e o paciente só notar a condição em seus estágios mais avançados. Quer saber mais sobre essa doença? Continue a leitura.

O glaucoma é uma doença ocular caracterizada por uma alteração do nervo óptico cujo principal fator de risco é a elevação da pressão intraocular (PIO). Tal fator, a longo prazo, causa um dano irreversível nas fibras nervosas e, consequentemente, a perda da visão.
É considerado a principal causa de cegueira irreversível no mundo, e isso ocorre porque não apresenta nenhum sintoma em seus estágios iniciais. O paciente só se dá conta da condição quando começa a perder a visão central, já em níveis avançados da doença.
Segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde), são registrados 2,4 milhões de novos casos de glaucoma anualmente, totalizando 60 milhões de pessoas no mundo.

Instituto de Oftalmologia Tadeu Cvintal

Causas do Glaucoma

Ainda não se sabe o motivo do aumento da pressão intraocular (PIO), mas ele é associado a lesões do nervo óptico, característica do glaucoma. Esse aumento da pressão decorre da deficiência de sua drenagem através do canal de Schlemml.

Existem outros fatores de risco que podem aumentar a chance do paciente contrair glaucoma, entre os quais:

 
  • idade acima de 60 anos;

  • histórico de casos na família;

  • doenças crônicas, como diabetes e hipertensão;

  • uso prolongado de medicamentos à base de corticoides;

  • doenças oculares, como tumores, descolamento de retina e inflamações.

Quais os tipos de Glaucoma?

Existem dezenas de tipos de glaucoma. Os quatro principais são:

 

Glaucoma de ângulo aberto (crônico)

O glaucoma de ângulo aberto é o tipo mais comum da doença e tende a ser hereditário. Sua causa é desconhecida, e nele o aumento da pressão intraocular (PIO) acontece lenta e gradativamente, com o passar do tempo. Essa pressão elevada causa um dano permanente no nervo óptico, levando à perda da visão.

 

SINTOMAS:

Apesar do glaucoma ser, no início, uma doença assintomática, em estágios mais avançados é possível perceber alguns sinais que variam dependendo do tipo de glaucoma que o paciente tem. Entre eles:

  • Perda gradual da visão periférica.

 

Glaucoma de ângulo fechado (agudo)

Esse tipo de glaucoma ocorre quando a saída do humor aquoso é bloqueada por alguma razão. Isso faz com que a pressão intraocular aumente de forma rápida e dolorosa. Esses casos são emergenciais e devem ser tratados imediatamente, pois a perda da visão pode ocorrer em alguns dias ou até em poucas horas.

 

SINTOMAS:

Os sintomas podem ser intermitentes nas fases iniciais da doença.

  • Dor grave e súbita em um olho ou na cabeça.

  • Visão diminuída ou embaçada.

  • Náusea e vômito.

  • Olhos vermelhos e com aparência inchada.

 
 

Glaucoma congênito

Nesse tipo de glaucoma, como o próprio nome diz, a criança já nasce com a doença, geralmente herdada da mãe durante a gravidez. É um tipo raro de glaucoma e deve ser tratado o quanto antes.

 

SINTOMAS:

  • Aumento de um olho ou de ambos.

  • Nebulosidade na parte frontal do olho.

  • Olho vermelho.

  • Sensibilidade à luz.

 

Glaucoma secundário

O glaucoma secundário pode ser causado por múltiplos fatores, principalmente por medicamentos que contenham corticoides em sua composição. Além disso, doenças oculares e sistêmicas, como catarata, podem ser um agravante para essa condição.

Tratamentos

O glaucoma é uma condição que pode ser tratada através de laser, medicamento ou cirurgias que aumentam a drenagem do humor aquoso (líquido de dentro do olho). Existem diversos tipos de procedimentos ou cirurgias para glaucoma, como:

Trabeculoplastia a laser

 

É utilizada uma combinação de frequências de laser que permitem o tratamento com pouca energia. Esse procedimento atua na área responsável pela drenagem e que está de certa forma ”entupida” criando uma microinflamação que chamará células inflamatórias do corpo para limpar este ”entupimento“.

 

Iridectomia a laser

 

Esse procedimento é destinado ao glaucoma de ângulo fechado. É criada uma pequena abertura na íris para que a camada de humor aquoso passe livremente da câmara posterior para a câmara anterior do olho, de modo que impeça a elevação da PIO.

 

Trabeculectomia

 

Esse procedimento é indicado para controlar o glaucoma nos casos em que o tratamento clínico não apresenta resultados e os exames complementares mostram que o quadro clínico continua piorando. A cirurgia consiste em criar uma fístula ou válvula de drenagem do humor aquoso da câmara anterior do olho.

 

MIGS

Minimally Invasive Glaucoma Surgery

Em tradução livre, significa “Cirurgia de Glaucoma Minimamente Invasiva”. Essa cirurgia é a técnica mais avançada de tratamento de glaucoma no mundo e está ganhando cada vez mais espaço no meio oftalmológico.

O conceito de MIGS se baseia em uma cirurgia abinterno, ou seja, por dentro do olho. Os instrumentos que a realizam, com ou sem implantação, são feitos de material biocompatível e visam restaurar a drenagem de modo fisiológico. Tal cirurgia é de baixo risco de complicações e eficaz na redução da pressão intraocular.

Os procedimentos MIGS funcionam por meio de equipamentos extremamente tecnológicos e minimamente invasivos, que reduzem a incidência de complicações.

A MIGS é, atualmente, a opção mais eficaz no tratamento do glaucoma e deve ser feita quando o diagnóstico já é preciso e o estágio da doença é inicial ou moderado.

1
Agende uma consulta
Olá!
Vamos direcionar você ao nosso atendimento de Whatsapp.